Blog do Professor Dutra

PRÓSPERO 2010

| 0 Comentários

O titulo acima não é fruto de erro de impressão gráfica, mas da avassaladora “tsunami financeira” que, partindo de seu epicentro, os Estados Unidos, espalhou pânico aos quatro cantos do planeta. Nem todo conhecimento acumulado, sobre economia e finanças, consegue diagnosticar a profundidade e a longevidade da crise.
O ano de 2009 poderá ficar marcado de maneira indelével, em termos de gestão de resultados, pois caberá a ele o desafio de enfrentar, e nocautear, as maiores adversidades da atualidade: a queda do PIB mundial, a recessão e, Deus nos livre! a depressão econômica. Será o ano de ouro dos empreendedores, das pessoas criativas, das mulheres guerreiras, da juventude determinada, dos executivos experientes, dos profissionais pró-ativos, dos funcionários receptivos às mudanças de paradigmas, enfim, daqueles que têm esperança, sonham e…fazem acontecer. Administração compartilhada ganha espaço nas organizações inovadoras, que partem da gestão solitária para a gestão solidária.
Com a espada de Dâmocles sobre a cabeça, a classe política, tem a missão de tranqüilizar a população sobre os efeitos sociais da crise, conter um provável salto inflacionário e adotar estratégicas eficazes para reverter a turbulência. A primeira medida deve ser o “corte na própria carne”,ou seja, reduzir as despesas de custeio, nos três poderes. A recomendação é clássica e tem mais de dois mil anos. “Vamos equilibrar o orçamento, proteger o tesouro, combater a usura, e reduzir a burocracia. Caso contrário… afundaremos todos”. Essa máxima é do célebre prosador, político e orador romano, Cícero (106-43 a.C.).
No campo mercadológico a competitividade estará mais acirrada do que nunca. Vacilou? Quebrou. O noticiário internacional nos mostra que,até, “monstros sagrados” da economia mundial perdem o fôlego, reduzem investimentos, fecham unidades produtivas, escritórios e filiais e sinalizam para o mais temido dos estragos sociais; demissão de milhões de trabalhadores. A palavra de ordem, para que a crise seja minimizada, abreviada e, definitivamente debelada, atende pelo nome de – inovação – a arte de transformar dificuldades em oportunidades de negócios. Inovar significa agregar valor às estratégias organizacionais, sistemas administrativos e operacionais, políticas de recursos humanos, atendimento e o relacionamento com os clientes, intercâmbio de informações e experiências com os fornecedores, projetos sociais e ambientais e aos processos da qualidade de produtos, de serviços e de vida.
A inovação tem como meta melhorar a qualidade – adequação ao uso com satisfação total dos clientes – , aumentar a produtividade – fazer cada vez mais,e melhor, com cada vez menos – e, reduzir custos.”Inovação é uma ferramenta específica dos empresários,por meio do qual eles exploram a mudança como oportunidade para um negócio ou um serviço diferente.É possível apresenta-la sob forma de disciplina, aprende-la e praticá-la.”(Peter Drucker – 1909-2005)
Aos consumidores vorazes o alerta pode ser encontrado no samba Argumento, do consagrado cantor, compositor e músico brasileiro, Paulinho da Viola: “Faça como um velho marinheiro/Que durante o nevoeiro/ Leva o barco devagar”.


Próspero 2010Enviado pelo autor, Jundiaí (terra da uva)-SP
Por Faustino Vicente – Consultor de Empresas E-mail:
faustino.vicente@uol.com.br – Tel (11) 4586-7426

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios assinalados *.

*